Estabelecido em 1968, o Grupo Midea é um conglomerado moderno e compreensivo que inclui principalmente a indústria de utensílios domésticos, bem como o domínio imobiliário e de logística. Este grupo é também um dos maiores fabricantes e exportadores de aparelhos elétricos da China.

Em 1980, o Grupo Midea entrou na indústria de utensílios domésticos. Em 1981, a marca “Midea” foi criada e usada. Em 2001, o Grupo Midea foi transformado numa empresa privada. E em 2004, esta empresa procurou o Hefei, uma joint venture da Roylstar-Maytag (ROYALSTAR) e o grupo Guangzhou Hualing (HUALING), continuando no caminho para se tornar um gigante na área de utensílios domésticos.

O Grupo Midea tem atualmente 70.000 funcionários e uma dúzia de marcas, incluindo a Midea e a Welling. Além do quartel general em Shunde (na Província de Guangdong), ele tem também dez bases principais de produção em Guangzhou (Guangdong), Zhongshan (Guangdong), Wuhu (Anhui), Wuhan (Hubei), Huai'an (Jiangsu), Kunming (Yunnan), Changsha (Hunan), Hefei (Anhui), Chongqing (Chongqing), Suzhou (Jiangsu) e na Província de Binh Duong (Vietnã), cobrindo uma área total de sete milhões de metros quadrados. A rede de marketing cobre todo o mundo e há dúzias de filiais nos Estados Unidos, na Alemanha, no Japão, em Hong-Kong, na Coreia do Sul, no Canadá e na Rússia.

Os principais produtos do Grupo Midea incluem condicionadores de ar domésticos e comerciais, grandes centrais de condicionamento de ar, ventiladores elétricos, fogões elétricos, refrigeradores, fornos de micro-ondas, dispensadores de água, lavadoras de roupas, aquecedores elétricos, lavadoras de pratos, fogões de indução, aquecedores de água, fornos, esterilizadores, panelas elétricas, fornos elétricos, aspiradores a vácuo e pequenos utensílios elétricos, bem como produtos relacionados a estes já mencionados, como compressores, motores, magnetrons, transformadores e fios esmaltados. Este grupo tem a maior e mais compreensiva cadeia industrial de condicionadores de ar e de fornos de micro-ondas da China, além do maior e mais integrado complexo industrial de pequenos utensílios domésticos e para cozinha da nação.

O Grupo Midea manteve sempre um desenvolvimento saudável, estável e veloz. O crescimento médio foi 60% nos anos 80 e 50% nos anos 90. A taxa de desenvolvimento anual está acima de 30% em média, desde o início do novo século.

Em 2005, o Grupo Midea teve vendas totais de 5,7 bilhões de dólares americanos, com um aumento de 40% sobre o ano anterior. As exportações excederam 1,76 bilhões de dólares americanos, com um aumento de 65%. Numa recente votação sobre “Os Produtos Mais Valiosos da China em 2005” a marca Midea foi avaliada em 3,402 bilhões de dólares americanos, um crescimento de 2,515 bilhões de dólares americanos em 2004, e atualmente classificada em sétimo lugar em todo o país.

Olhando para o futuro, o Grupo Midea continuará tendo um desenvolvimento estável e sustentável, procurando estabelecer um padrão industrial de diversidade, larga escala, regionalização e gerenciamento diferenciado. Com a sua saudável estrutura financeira e a óbvia vantagem na principal competitividade, esta empresa será primariamente capaz de alocar e de distribuir os seus recursos por todo o globo. Tomando como objetivo a maximização do valor de toda a empresa, ela irá melhorar a sua estrutura e gerência para ser um grupo internacional de utensílios elétricos domésticos no ano 2010, com operação e gerência padrões, uma clara estrutura administrativa, bem como um valor de vendas anuais acima de 12,5 bilhões de dólares americanos.

No Brasil



No Brasil, a Midea chegou com força desde 2011. Hoje, são duas fábricas, uma ampla rede de assistência técnica e produtos presentes nos principais pontos de venda do país. Mas não ficando só nisto, a Midea desenvolve produtos especialmente para o mercado nacional, levando em conta as necessidades e características dos consumidores e das casas brasileiras.

Veja todos os aparelhos da Midea em nosso site: http://www.strar.com.br/ar-condicionado-midea/



Fonte: Midea Group

Edição e Tradução: Fernando B. T Leite